sexta-feira, 22 de março de 2013

Atenção Rede municipal de Cabo Frio


Deliberação da Assembleia da Rede Estadual

Rede estadual entrou em estado de greve e fará paralisação de 72 horas nos dias 16, 17 e 18 de abril

Os profissionais da rede estadual decidiram entrar em estado de greve em assembleia realizada ontem (dia 21) na ABI. A plenária também del...iberou que as escolas farão uma paralisação de 72 horas nos dias 16, 17 e 18 de abril. No último dia da paralilsação, será realizada uma nova assembleia, a partir das 10h, no Clube Municipal (Rua Haddock Lobo 359, Tijuca), quando discutiremos os rumos da mobilização. O estado de greve se inicia nesta sexta (dia 22).

Na parte da tarde do dia 21 de março, a categoria se incorporou a uma marcha em defesa da educação, organizada pelo FEDEP e, depois realizou uma atividade nas escadarias da Alerj, com uma aula pública.
Ver mais

Atenção Dirigentes das Unidades Escolares da Rede Municipal de Cabo Frio!

Segundo a Lei Complementar 12, de 27 de junho de 2012, art. 22  parágrafo 2° " Todo professor que estiver exercendo a função de Dirigente de Turno cumprirá carga horária de 20 (vinte) horas semanais."
Portanto atenção, as 25 ou 30 horas semanais são do aluno, não do professor que exerce a função de dirigente.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Atenção Rede Estadual

Sepe vai ao Tribunal de Justiça alertar que o governo estadual se recusa a abrir negociação



      A diretoria do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) vai pedir uma audiência com a
 presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargadora Leila Mariano, para informar que desde o ano
 passado o sindicato pede a criação de uma mesa de negociação com o governo do estado para discutir
as reivindicações da categoria. No entanto, até agora o governo não respondeu aos pedidos do Sepe.

    Na audiência, o Sepe também vai mostrar à desembargadora a situação dos funcionários administrativos  
das escolas, que estão sendo removidos arbitrariamente de seus locais de trabalho e substituídos por
 funcionários terceirizados.

O Sepe oficiou a Secretaria Estadual de Educação (Seeduc) e o Palácio Guanabara, pedindo a abertura das  
negociações, tendo como base as seguintes reivindicações:

1) Cinco salários mínimos de piso (R$ 3 mil) para o magistério e 3,5 salários (R$ 2 mil) para os funcionários
  administrativos;

2) Combate ao Plano de Metas da SEEDUC e, também, ao Projeto de Certificação dos professores;

3) 30 horas para funcionários administrativos – contra o cumprimento da carga horária de 40 horas.

4) 1/3 de carga horária para planejamento;

5) Uma escola, uma matrícula.

Caso o governo não abra as negociações, a rede estadual poderá parar!


     A última assembleia da rede estadual, realizada dia 5 de março, decidiu que a categoria fará uma nova
 paralisação de 24 horas no dia 21 de março (quinta). Neste dia, os profissionais farão uma assembleia,
a partir das 11h, na ABI, para definir se a rede entrará, a partir desta data, em estado de greve. Logo
após, participação na Marcha do Forum em Defesa da Educação (concentração na Candelária) e aula
  pública na Alerj.

sexta-feira, 15 de março de 2013

Atenção Movimento Unificado dos Servidores do Município de Cabo Frio!
Foi deferida a liminar requerendo o retorno do Companheiro Rafael Peçanha ao Colégio Municipal Rui Barbosa.
Vencemos essa batalha!!!
A luta continua!!!

Rede Municipal de Cabo Frio

Atenção Servidor da Rede Municipal de Cabo Frio!!!
Em assembleia unificada, ontem, dia 14/03, ficou deliberado:
1º Estado de greve;
2º Paralisação de 24h, dia 02/04, com concentração em frente a Câmara a partir das 17h e assembleia às 18h;
3º Total apoio do movimento unificado a passeata dos alunos, hoje, dia 15/03, às 14h em frente ao Colégio Municipal Rui Barbosa, em favor do companheiro Rafael Peçanha;
4º Ações judiciais em favor do vale-transporte, aposentados e em prol do nosso instituto de previdência.

A luta continua!!

quarta-feira, 13 de março de 2013

Atenção Servidores do Município de Cabo Frio!!!


Amanhã, dia 14/03, PARALISAÇÃO DE 24h, com ato em frente da Câmara Municipal às 16h. Assembleia Unificada às 18h.
Companheiros temos pelo menos 11 motivos para paralisarmos nossas atividades.
Vamos dizer NÃO a falta da convocação dos concursados, ao não pagamento do retroativo a janeiro, dos pagamentos errados em fevereiro, do não enquadramento imediato dos aposentados, do não carregamento do cartão do transporte, dentre outras reivindicações.
O SERVIDOR VAI PARAR!!!

11 motivos para o servidor parar


Movimento Unificado dos Servidores Municipais de Cabo Frio marcou para esta quinta-feira, dia 14, às 16h, paralisação com ato em frente à Câmara Municipal. Dentre as reivindicações, está o pagamento do Plano de Carreira do Servidor.

A direção do Movimento esclarece à população que a receita dos royalties não pode ser utilizada para pagamento de pessoal, como diz a Lei Federal 7990/89 em seu artigo 8º.

- Sendo assim, não é verdade quando o governo diz que não poderá pagar o Plano de Carreira do Servidor, que a Saúde vai falir e as escolas vão fechar – afirmou Denise Teixeira, coordenadora geral do SEPELagos (Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro).

Movimento Unificado dos Servidores Municipais selecionou 11 itens que motivaram a paralisação. São eles:

11 motivos para o servidor parar

1 – Não pagamento do retroativo dos PCCRs de janeiro para os servidores ativos e inativos;
2 – Não pagamento da Gratificação de Plantão (arts. 36 e 69 de Lc 11/2012 – Lei do PCCR) aos servidores lotados na Saúde, na Guarda Municipal e na Guarda Marítima Ambiental;
3 – Não concessão do vale-transporte, apesar de descontado do servidor;
4 – Não elaboração do calendário de pagamento dos servidores, com priorização dos aposentados e pensionistas;
5 – Não revisão dos proventos dos aposentados e pensionistas, para o devido enquadramento ao Disposto nos PCCRs (LC 11/2012, LC 12/2012, LC 01/2013);
6 – Não enquadramento nos PCCRs dos servidores em benefícios;
7 – Redução da Gratificação de Produtividade Fiscal, alterando a LC 11/2012 (PCCR do Quadro Geral) sem negociação com as Entidades Representativas dos Servidores, ferindo Disposições da Lei Orgânica de Cabo Frio e os princípios Constitucionais da irredutibilidade de vencimentos dos direitos adquiridos;
8 – Não pagamento aos servidores da extinta SECAF, das horas extras efetivamente prestadas;
9 – Não regularização da reserva de 1/3 da carga horária dos professores;
10 – Não pagamento das gratificações de alfabetização e de direção dos professores;
11 – Discriminação entre o vencimento básico dos servidores estáveis e dos contratados, ferindo o princípio da isonomia social.

Movimento Unificado - SEPELagos, SINDICAF, SINDSaúde, AFM e AGM.

sexta-feira, 1 de março de 2013