quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Convocação - Profissionais da Educação de Arraial do Cabo


Hoje, dia 31, às 10h, será realizada audiência pública na Câmara Municipal. É fundamental a presença de todos!!! Participe!!! Juntos somos fortes!!!
SepeLagos

terça-feira, 29 de outubro de 2013




Atenção Profissionais da Educação de Cabo Frio!!!


Como deliberado na assembleia do dia 18 de outubro, nesta segunda-feira, dia 21 de outubro, enviamos um ofício a SEME solicitando o mais rápido possível a negociação da reposição das aulas dos dias de paralisação. Estamos aguardando a resposta. Nossa próxima assembleia será no dia 4 de novembro na E. M. São Cristóvão (a confirmar), às 18h. Neste dia debateremos também sobre a reposição das aulas. Não faltem!

SepeLagos

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Convocação - Atenção profissionais da Educação de Arraial do Cabo

Nesta quinta-feira, dia 31, às 10h, será realizada audiência pública na Câmara Municipal.
É fundamental a presença de todos!!!
Participe!!!

SepeLagos

sexta-feira, 25 de outubro de 2013



Veja as principais deliberações da assembleia da rede estadual que suspendeu a greve da categoria


Em assembleia realizada na tarde desta quinta-feira, os profissionais de educaçao da rede estadual decidiram suspender a greve da categoria. A plenária que decidiu pela suspensão da paralisação iniciada no dia 8 de agosto também decidiu que a rede estadual ficará em estado de greve. Quanto à reposiçao das aulas, a decisão da assembleia foi a de que os profissionais farão a reposição de conteúdos, respeitando a autonomia pedagógica de cada escola. Os profissionais devem promover reuniões com alunos maiores de idade ou responsáveis no mais curto espaço de tempo possível para decidir conjuntamente os conteúdos que seráo repostos. A próxima assembleia será realizada no dia 9 de novembro, às 13h, em local a confirmar. (Fonte: Sepe RJ)

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

SUSPENSA A GREVE NA REDE ESTADUAL: ASSEMBLEIA NO CLUBE MUNICIPAL ACABA DE VOTAR PELA SUSPENSÃO DA GREVE NAS ESCOLAS DO ESTADO

Os profissionais de educação da rede estadual acabam de votar pela suspensão da greve da categoria. A votação aconteceu em assembleia, que ainda está sendo realizada no Clube Municipal, na Tijuca,  reunindo mais de mil profissionais. A assembleia ainda continua e, em breve, daremos mais detalhes sobre as demais deliberações da plenária. (Fonte: Sepe RJ)

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Atenção REDE ESTADUAL! Nota da audiência no STF.

Sobre a audiência de conciliação realizada até o final da noite de ontem, no STF, em Brasília, o Sepe informa à categoria:

A audiência foi um fato inédito no âmbito do Supremo Tribunal Federal e só foi possível porque o Sepe-RJ recorreu da decisão do TJ em relação ao corte de ponto da Rede Estadual. Assim, o Ministro Luiz Fux entendeu por bem chamar também o Município do Rio de Janeiro por conta da comoção social que a greve causou.

No caso da rede estadual , a liminar que o Ministro concedeu suspenderia o corte de ponto até hoje, e, não havendo o acordo, o corte de ponto seria julgado pelo pleno do STF.

No caso do Município não há decisão nesse sentido , valendo até o presente momento, a decisão da Presidente do TJ , Dra Leila Mariano, que deu ganho de causa ao Município, mantendo a votação do plano de carreira e o corte de ponto da categoria.

Os acordos firmados estabelecem a apreciação e aprovação dos mesmos pelas assembleias das respectivas redes para sua efetivação.

Nos dois acordos assinados, foram suspensas todas as ações punitivas como corte de ponto, inquéritos administrativos da greve e descontos já feitos.

Também avançaram em grupos de trabalhos em relação a pontos da pauta de reivindicações das duas redes.

Apesar da intransigência dos governos em determinados pontos, como no caso do plano de carreira da rede municipal e do reajuste do estado (para esse ano ainda), conseguimos abrir caminhos para a continuidade das discussões em relação a esses pontos.

O debate será longo e a luta é permanente. Cumprimos mais uma etapa. Vamos avaliar os acordos assinados sempre tendo em conta que a palavra final é da categoria em asssembleia e que deixamos isso firmado diante de todos no STF.

Por último foi firmado o compromisso de retirada das multas do sindicato sobre os dias de greve, resguardando a representatividade da categoria através de seu sindicato-o SEPE.

Todos às assembleias da rede estadual e municipal nos dia 24 e 25 de outubro respectivamente. Vamos decidir juntos os rumos da nossa luta.

Para maiores detalhes, o sindicato solicita que a categoria compareça às assembleias das redes estadual (nesta quinta, às 14h, no Clube Municipal) e municipal (sexta-feira, 13h, local a confirmar). Nestas plenárias, os profissionais poderão avaliar os resultados da audiência e decidir os rumos da nossa mobilização.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

TRT DA 10ª REGIÃO CONCEDE LIMINAR E MTE RESTABELECE REGISTRO SINDICAL DO SEPE-RJ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) restabelece o Registro Sindical do SEPE/RJ em cumprimento a decisão proferida pelo Exmo. Desembargador do TRT da 10ª Região, Sr. Dorival Borges de Souza Neto, que deferiu a liminar requerida nos autos do recurso judicial interposto pelo SEPE-RJ. Tal decisão suspende a aplicabilidade imediata da sentença proferida pelo Juízo da 4ª Vara do Trabalho de Brasília – DF, que determinou a suspensão temporária do registro sindical do SEPE-RJ para apreciação pela Secretaria de Relações do Trabalho do MTE do recurso administrativo interposto pela UPPE. Referido Recurso se impôs em virtude de flagrantes ilegalidades que maculam o processo de conjunto tornando a decisão nula de pleno direito, visto que, entre outras questões, sequer houve a citação do SEPE a fim de garantir o direito de defesa, princípio fundamental do devido processo legal. Cumpre ressaltar que, mesmo com a suspensão temporária do registro sindical, nunca houve impedimento a representação, legitimação e substituição processual pelo SEPE-RJ, que em seus mais de 30 anos de existência, sempre representou a categoria dos profissionais de educação. O SEPE/RJ é entidade sindical de 1º grau e o legítimo representante sindical da categoria dos profissionais de educação das redes públicas de educação do estado e dos municípios do Estado do Rio de Janeiro, segmento profissional específicos dos servidores públicos, não havendo qualquer irregularidade a ser sanada no processo de concessão do Registro Sindical pela SRT-MTE. Lamentamos profundamente o episódio que resultou na suspensão temporária do registro sindical do SEPE-RJ no momento em que nossos companheiros das redes públicas do município do RJ e do estado do RJ se encontram em greve por melhores condições de trabalho e por uma educação pública de qualidade, que levou tantos brasileiros às ruas. Isso demonstra que, em verdade, esta foi mais uma tentativa temerária de entidades sindicais cartoriais, como a UPPE, que não representa a categoria dos profissionais de educação e só serve para fazer o jogo dos governos que tentam desesperadamente enfraquecer nossa luta, ou seja, o que estava em questão no processo que suspendeu por um período o registro sindical do SEPE-RJ eram, na verdade, interesses mesquinhos alheios aos reais interesses da categoria. Dessa forma, o SEPE-RJ reafirma mais uma vez seu compromisso com a categoria dos profissionais de educação do RJ. O SEPE SOMOS NÓS, NOSSA FORÇA NOSSA VOZ! SEPE-RJ

Sepe obtém liminar na Justiça e os profissionais da Rede Municipal de Educação de Itaboraí não serão descontados durante os dias de greve

Sepe conseguiu liminar na 1ª Vara Cível de Itaboraí e os profissionais da Rede Municipal não serão descontados duranteos dias de greveiniciada no dia 8 de outubro. A categoria reivindica a negociação do Plano de Cargo, Carreiras eSaláriosConfira a íntegra da decisão judicial no link do jurídico.

Fonte: http://www.seperj.org.br

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

sexta-feira, 18 de outubro de 2013



Cabo Frio: Educação continua em estado de greve


Durante assembleia realizada hoje pela manhã em frente à Prefeitura de Cabo Frio, os profissionais da educação decidiram manter o estado de greve no município. Sendo assim, os profissionais retornam na segunda-feira às suas unidades escolares, mas, em estado de greve, podem parar a qualquer momento.
Na assembleia foram aprovados os seguintes itens:

- manutenção do estado de greve;
- acompanhamento das sessões na Câmara Municipal;
- assembleia da categoria na escola São Cristóvão, dia 4 de novembro, às 18h;
- panfletagem dia 22 de outubro, terça-feira, às 17h, no Largo Sto Antônio;
- ato durante o desfile de 13 de novembro;
- a reposição das aulas será feita depois de negociação com a secretaria de Educação e deliberada, em conjunto, na assembleia do dia 4.

A categoria reivindica pela não obrigatoriedade do curso dentro da carga horária de um terço do professor (segundo o parecer 9 do Conselho Nacional de Educação, 50% do tempo o professor deve utilizar na escola com reuniões pedagógicas, conselho de classe e projetos; e 50% em local de livre escolha do professor para que o mesmo possa planejar as aulas). Além disso, os profissionais  lutam pelo acerto da hora-aula; Isonomia salarial para os contratados; Isonomia salarial para inspetores e auxiliares de classe; Insalubridade para as cozinheiras e auxiliares de serviços gerais; Chamada dos concursados; Data base de abril que não foi paga e Ressarcimento do Ibascaf.









 


Cabo Frio: sessão não acontece por falta de quórum


Os profissionais da educação de Cabo Frio estiveram, ontem à noite, em frente à Câmara Municipal reivindicando por melhorias na área. Eles entraram na Casa Legislativa para participar da sessão, mas, especialmente ontem, apenas cinco vereadores compareceram e, por falta de quórum, não aconteceu a sessão. (EdiCom)














quarta-feira, 16 de outubro de 2013



Cabo Frio: 63% dos efetivos aderiram à greve

O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SepeLagos) informou que 63% dos efetivos aderiram à greve; somente os contratados continuaram trabalhando. A categoria decidiu pela greve de advertência, de 72 horas, depois que a secretaria de Educação de Cabo Frio rompeu com o que foi definido na reunião do último dia 17 de setembro.
Seguindo o cronograma da greve de advertência amanhã terá apitaço em frente à Câmara Municipal a partir das 16 horas e, sexta-feira, assembleia de avaliação do movimento em frente à Prefeitura às 9h.
É bom ressaltar que todas as reivindicações feitas – desde o início do ano – foram mantidas. O sindicato é contra a obrigatoriedade do curso dentro da carga horária de um terço do professor (segundo o parecer 9 do Conselho Nacional de Educação, 50% do tempo o professor deve utilizar na escola com reuniões pedagógicas, conselho de classe e projetos; e 50% em local de livre escolha do professor para que o mesmo possa planejar as aulas). Além disso, a categoria luta pelo acerto da hora-aula; Isonomia salarial para os contratados; Isonomia salarial para inspetores e auxiliares de classe; Insalubridade para as cozinheiras e auxiliares de serviços gerais; Chamada dos concursados; Data base de abril que não foi paga e Ressarcimento do Ibascaf.
Atualmente 70% dos professores do município são contratados, quando a Lei só permite 10%.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Greve de advertência de 72 horas. Participe!


- 15/10 – ato em frente à Câmara Municipal às 18h;
- 16/10 – panfletagem no Largo de Santo Antônio;
- 17/10 – apitaço em frente à Câmara Municipal a partir das 16h;
- 18/10 – assembleia de avaliação do movimento em frente à Prefeitura às 9h.

SepeLagos – Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação



segunda-feira, 14 de outubro de 2013




Nota oficial – SepeLagos – 14 de Outubro

O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SepeLagos) vem à público responder as acusações descabidas do prefeito de Cabo Frio. O movimento da categoria não tem bandeira partidária – e o prefeito sabe disso – e merece todo o respeito e atenção por parte do Executivo. Aliás, se as reivindicações da classe tivessem sido atendidas, conforme prometido pelo prefeito, os profissionais da educação da cidade não precisariam fazer outra greve de advertência de 72 horas.
Vamos responder às críticas do Executivo por tópicos:
- O prefeito sabe quais são as reivindicações que fazemos e, ao contrário do que publicou em seu blog, não houve acréscimo de nenhuma. Todas as reivindicações que fizemos – desde o início do ano – foram mantidas. Só para lembrar (fim da obrigatoriedade do curso dentro da carga horária de um terço do professor – segundo o parecer 9 do Conselho Nacional de Educação, 50% do tempo o professor deve utilizar na escola com reuniões pedagógicas, conselho de classe e projetos; e 50% em local de livre escolha do professor para que o mesmo possa planejar as aulas; acerto da hora-aula; Isonomia salarial para os contratados; Isonomia salarial para inspetores e auxiliares de classe; Insalubridade para as cozinheiras e auxiliares de serviços gerais; Chamada dos concursados; Data base de abril que não foi paga e Ressarcimento do Ibascaf);
 - É bom lembrar que a categoria decidiu pela nova greve de advertência de 72 horas para cobrar o que foi definido na reunião, no último dia 17 com o prefeito, e votado em assembleia;
 - Vale ressaltar mais uma vez que a Secretaria de Educação rompeu com as negociações quando voltou a cobrar a obrigatoriedade do curso;
 - O Sindicato sempre está disposto a negociar as reivindicações com o Executivo. Mas o prefeito está mostrando em notas divulgadas em seu blog, que a vontade de solucionar as questões que estão pendentes não é recíproca;
 - É bom lembrar que a greve é um direito Constitucional do Trabalhador. Cabe aos trabalhadores decidirem quando e porque a usarão como instrumento de pressão para que os patrões ou os governos atendam às suas reivindicações. Por esta razão, ninguém pode ser punido por realizá-la, mesmo que esteja em estágio probatório, no caso dos servidores municipais
A greve é a suspensão coletiva, temporária e pacífica, total ou parcial, da prestação de serviços ao empregador. Este direito é garantido pela Constituição Federal, em seu artigo 9º: “É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender”
 Por tudo isso que esclarecemos, mais uma vez, lembramos que é inútil tentar manchar a imagem do movimento que é sério, legítimo e livre de amarras políticas. Ressaltamos que, ao invés de atacar os profissionais da educação, o prefeito poderia receber o Sindicato e retomar as negociações da categoria, uma vez que, de acordo com o próprio chefe do Executivo, ele é “um homem preocupado com a educação”.
Estamos aguardando!