Cabo Frio — Assembleia debate reposição de aulas e mobilização para a Greve Nacional do 18 de março


Nesta quarta-feira, profissionais da educação de Cabo Frio realizaram a assembleia extraordinária convocada pelo Sepe Lagos. Como na maioria das vezes, os trabalhadores se reuniram no auditório da Escola Municipal São Cristóvão, às 18h. O principal assunto da assembleia foram os problemas que os educadores estão enfrentando em muitas escolas com relação à reposição das aulas após a greve da categoria. Foram relatados muitos casos de perseguição e retaliação a grevistas.

No primeiro momento da assembleia, foram dados informes dando sobre o fato de que muitos diretores de escolas estão dando orientações diferentes das acordadas entre o Sepe Lagos e a Secretaria Municipal de Educação (SEME) sobre a reposição. Os diretores do sindicato relataram o que foi acordado na última audiência com o governo e você pode conferir estas definições neste vídeo.

E, além disso, muitos trabalhadores se inscreveram para relatar casos de punições a grevistas. Também foi denunciado o quão tumultuado foi o processo de volta imediata ao trabalho após o término da greve.

Muitos profissionais que fizeram greve e eram contratados ainda não foram readmitidos pela SEME e estão tendo que trabalhar sem receber salário e sem garantias de que voltarão a ter seus postos de trabalho na rede municipal.

Além disso, a data limite para o início do ano letivo de 2020 não está sendo respeitada em todas as escolas. Em muitas instituições as direções querem iniciar o calendário letivo apenas no mês abril, negando-se a aplicar planos de estudos para viabilizar a reposição dentro do prazo do dia 13 de março, contrariando o que foi acordado entre o Sepe Lagos e a SEME.

Balanço da greve

Também houve um debate sobre o balanço da greve da categoria, onde se ressaltou a necessidade de que a reposição seja debatida durante a greve e não apenas após o fim do movimento, pois isso abre caminho para que aconteçam abusos por parte das direções de escola. Diretores do Sepe Lagos ressaltaram que é necessário conversar com os companheiros que estão sofrendo assédio no processo de reposição a fim de combater as perseguições e retaliações.

Também foi debatido que o ano de 2020 até o momento tem sido o mais complicado para os profissionais da educação desde 2015. Há muito tempo não se iniciava um ano letivo com tantas ameaças de atrasos de pagamento, tantas confusões com contratações e tantos casos de assédio e perseguição a grevistas como está acontecendo agora. A avaliação geral da assembleia foi de que este será um ano de muita luta e de que, por isso, é importante manter a categoria mobilizada e conscientizada quanto a necessidade de se manter em luta para garantir que os direitos dos trabalhadores sejam respeitados pela prefeitura.

Dia 18 de março é greve nacional! Todas à caravana do Sepe Lagos para o grande ato no Rio de Janeiro!

Outro ponto importante da assembleia foi a discussão sobre a necessidade de que os profissionais da educação de todas as redes, tanto de Cabo Frio, como Arraial do Cabo, Búzios e a rede estadual, participem em peso da Greve Nacional que está sendo convocada para o próximo dia 18 de março. O objetivo da greve é a defesa do FUNDEB e do Piso Nacional e a luta contra a reforma administrativa que ataca a estabilidade e os planos de carreira dos servidores públicos. O Sepe Lagos enviará para o ato no Rio de Janeiro uma caravana de educadores da Região dos Lagos. Os interessados em compor essa caravana devem ligar para o sindicato nos números 2644-9898 ou 2644-3781 para confirmar sua vaga no transporte para o Rio.

Confira a íntegra das propostas aprovadas pela assembleia extraordinária:

• Solicitar à SEME uma definição, por ofício, acerca do calendário de início do ano letivo, de acordo com a ata de reunião com o sindicato, para esclarecimento das informações desencontradas entre o que foi acordado sobre a reposição das aulas e o que está sendo aplicado em muitas escolas. Incluir na pauta o questionamento sobre como as escolas que encerram as aulas no dia 13 de março se organizarão para iniciar o calendário letivo no próximo dia 16, sem tempo hábil para reorganizar as turmas;

• Enviar ofício pedindo audiência com a SEME, citando a representação da categoria;

• Acionar o departamento jurídico para atuar nos problemas relativos à contratações;

• Enviar para as direções das escolas as atas de negociação com o governo;

• Elaborar materiais de divulgação da Greve Nacional da Educação, no dia 18/03;

• Carro de som do Sepe Lagos convocando para o dia o 18 de março;

• Por unanimidade, foi decidido que o sindicato não enviará atas de assembleias da categoria para o governo;

• A próxima assembleia da rede de Cabo Frio será realizada no dia 9 de março, segunda-feira, às 18h, no Colégio Estadual Miguel Couto.

Postar um comentário

0 Comentários